17 de agosto de 2017

Salmo preferido

Salmo 118.1-17

Rendei graças ao Senhor, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre. (v. 1)
Este é o meu salmo preferido. Embora me sejam caros todo o Saltério e a Sagrada Escritura como um todo, ela que é meu único consolo e vida, deparei-me de forma especial com este salmo. Pois ele já me serviu lealmente muitas vezes e me salvou de muitos problemas graves, quando nem imperadores, reis, sábios, eruditos e santos me poderiam ter ajudado. Se alguém acha estranho o fato de eu considerar esse salmo meu salmo, porquanto é bem comum, saiba que o fato de ser meu não o tira de ninguém. Cristo também é meu, não obstante continua sendo o mesmo Cristo para todos os santos. Não quero ser invejoso, mas quero compartilhá- lo alegremente com todos. Queira Deus que todas as pessoas reivindiquem esse salmo para si como eu o reivindico. Infelizmente existem poucos, inclusive entre aqueles que, com razão, deveriam fazê-lo mais do que qualquer outra pessoa, que, em toda sua vida, dissessem, ao menos uma única vez, de coração às Sagradas Escrituras ou a um dos Salmos: Tu és meu livro amado, tu serás meu salmo preferido. O salmo inicia com um agradecimento geral por todos os benefícios que Deus, o Senhor, demonstra ao mundo inteiro diariamente, sem cessar, em todas as coisas, tanto aos bons quanto aos maus. Deus cria corpo e alma, protege-nos dia e noite, conserva-nos a vida incessantemente, faz brilhar sobre nós o sol e a lua, põe céu, fogo, ar e água a nosso serviço, da terra faz brotar vinho, centeio, pasto, alimento, roupas, lenha e tudo de que necessitamos. Esses bens de Deus são os maiores e os mais desprezados, e por serem comuns, ninguém agradece a Deus por eles; tomamos e usamos esses bens diariamente como se não pudesse ser diferente e como se fosse nosso direito, sem agradecermos a Deus uma única vez por eles. M. Lutero