23 de novembro de 2017

Cristo é o caminho

João 14.1-6

Respondeu-lhe Jesus: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim”. (v. 6)

 

Quando chega a hora em que nossas ações e obras devem cessar, quando não mais podemos permanecer aqui, quando surge a pergunta: “Onde encontrarei, agora, uma ponte ou uma pinguela que me levará em segurança para a outra vida?” – quando chegar essa hora não procures qualquer caminho que tenha o rótulo de humano ou a marca de nossas próprias boas obras ou de nossa vida santa. Não, cobre tudo isso com o Pai-Nosso e dize: “Perdoa nossas dívidas”. Apega-te tão somente àquele que diz: “Eu sou o caminho”. E cuida para que essas palavras estejam firmes e gravadas em tua consciência, de modo que possas sentir a presença de Cristo enquanto ele diz: “Por que estás procurando outros caminhos? Deves rejeitar qualquer outro pensamento sobre possíveis caminhos para o céu e pensar tão só em minhas palavras: ‘Eu sou o caminho’. Apega-te a mim com fé firme e com toda a confiança do coração. Eu serei a ponte que te levará para o outro lado. Num piscar de olhos, sairás da morte e do temor do inferno e entrarás naquela vida. Pois fui eu que pavimentei o caminho. Eu mesmo o percorri e o atravessei, para que eu possa atravessar a ti e a todos os meus seguidores. Tudo que deves fazer é apostar em mim, avançar confiante e alegre e morrer em meu nome”. Vê, é dessa maneira que devemos aprender a conhecer o Senhor Cristo: não como alguém que somente nos ajudou com seu ensino e seu exemplo, mas como aquele que está e permanece constantemente ao nosso lado e em nós, especialmente, na hora em que esta vida chega ao fim. Isso acontece quando creio que ele é o Salvador que, mediante a morte, foi ao Pai por mim, para, igualmente, me levar para lá. Então estou no caminho certo, o caminho que devemos tomar e trilhar para ir desta vida para a outra. M. Lutero