06 de março de 2018

Deus, o Pai, seja conosco

Hino composto para ser cantado na época da Trindade, em 1524. Como já afirmamos na Introdução a outro hino, a época era crítica e exigia perseverança: "Mantém-nos em fé firme".
Na Idade Média, havia um número muito grande de estrofes semelhantes ao presente hino. Lutero adapta a estrofe, originalmente dedicada à invocação dos santos, à redescoberta do centro da mensagem evangélica, invocando, agora, em seu lugar, o próprio Deus.

 

1- A melodia é do século XIII ou XIV.

Deus e Pai, vem nos salvar, para que não pereçamos, do pecado libertar, que na paz morrer possamos.
Vem do diabo nos livrar, que em firme fé vivamos, e em ti só confiemos, de coração creiamos, só a ti nos entregar!
Com todo o vero crente ferir a vil serpente co'as armas do Valente.
Digo amém, assim será.
Cantemos, pois, Aleluia!

 

2- Ó Jesus, vem nos salvar, para que não pereçamos do pecado libertar, que na paz morrer possamos.
Vem do diabo nos livrar, que em firme fé vivamos, e em ti só confiemos, de coração creiamos, só a ti nos entregar!
Com todo o vero crente ferir a vil serpente co'as armas do Valente.
Digo amém, assim será.
Cantemos, pois, Aleluia!

 

3- Vem, Espírito, salvar, para que não pereçamos, do pecado libertar, que na paz morrer possamos.
Vem do diabo nos livrar, que em firme fé vivamos, e em ti só confiemos, de coração creiamos, só a ti nos entregar!
Com todo o vero crente ferir a vil serpente co'as armas do Valente.
Digo amém, assim será.
Cantemos, pois, Aleluia!