06 de março de 2018

O Sanctus Alemão

O hino foi publicado pela primeira vez na "Missa Alemã", de 1526, tendo como título "O Sanctus alemão". Por sua localização é óbvio chegarmos à conclusão de que Lutero pretendia que ele substituísse o Sanctus latino. O texto baseia-se em Isaías 6.1-14, reproduzindo, no entanto, apenas a visão de Isaías. Logo foi assumido por diversos hinários e passou a ser cantado pelas comunidades evangélicas nas celebrações eucarísticas. A melodia é do próprio Lutero.

 

No templo a Isaías sucedeu:
no espírito o Senhor lhe apareceu
em seu fulgor, no excelso trono seu,
do manto a orla todo o coro encheu.
Dois serafins viu ao Senhor ladear,
seis asas tinham - que visão sem par!
Um par a fim de os rostos ocultar,
e o outro para os pés acobertar,
com duas asas livres a voar,
em grande voz puseram-se a clamar:
É santo, é santo, é santo o nosso Deus!
É santo, é santo, é santo o nosso Deus!
É santo, é santo é santo o nosso Deus!
Da glória sua se enchem terra e céus!
De seu clamor o templo estremeceu,
de incenso a casa toda se encheu.