06 de março de 2018

Canção infantil

A ser cantada contra os dois arqui-inimigos de Cristo e de sua Santa Igreja (o papa, os turcos, etc.)

 

O texto foi publicado pela primeira vez em Wittenberg, em 1543, devendo ter sido escrito entre 1541 e 1543. É provável que tenha surgido em meados de 1542. Esta afirmação baseia-se nos seguintes fatos. Em agosto de 1541, as tropas de Fernando de Habsburgo foram batidas em Ofen. Lutero refere-se ao fato em diversas cartas. Em outubro do mesmo ano, a frota de Carlos V foi destruída por temporal na costa da Argélia. Em julho de 1542, o rei francês e o sultão turco estabeleciam aliança contra o imperador. Pouco depois, espalhava-se o boato de que o papa teria aderido à aliança franco-turca. Papa e turco unidos para destruir a cristandade; isso significaria o juízo de Deus sobre a cristandade. Só há um auxílio: a oração e, principalmente, a oração dos inocentes, das crianças. Daí a referência às crianças que antecede o hino.

 

Em anos posteriores, o hino teve o 2º verso da 1ª estrofe alterado e hoje se encontra também em hinários católico-romanos.

 

1- Senhor, no Verbo nos mantém.
O turco e o papa, ó Deus, contém, que o Filho teu, Cristo, o Senhor,
do trono teu querem depor.
2- Jesus, demonstra o teu poder!
Ó Rei dos reis, vem proteger

O povo teu - que possa amar
E eternamente te louvar.

3- Espírito Consolador, Dá-nos união, fraterno amor!
Na angústia vem nos amparar, Da morte à vida nos guiar.