06 de março de 2018

Gloria in excelsis Deo (Toda a glória e louvor sejam de Deus)

Há discussões quanto à autoria deste hino. Há autores que negam a autoria de Lutero; outros a afirmam. Ele foi publicado pela primeira vez em Naumburgo, em 1537. Trata-se de tradução fiel do Hymnus angelicus (hino angélico) da missa romana: gloria in excelsis deo (Glória a Deus nas alturas).

 

Glória in excelsis Deo

Glória e louvor somente a Deus,
O Altíssimo nos altos céus.

Et in terra[pax]

Na terra a ira um fim terá
E paz e graça a nós virá.
Por isso vamos jubilar
De coração lhe graças dar!
Amado Deus, a ti louvor,
Honrado sejas com fervor.
Prostrados, eis-nos a adorar
Tua honra, ó Deus, glorificar.
Em todo o tempo gratidão
Rendemos-te com devoção.
És rei no céu, ó Deus Senhor,
O Pai, potente protetor.

Do Pai tu vens, Filho de Deus,
Cristo unigênito, dos céus.
Cordeiro meigo, Deus Senhor,
O próprio Deus é o genitor.
Ó tu, que vens o mal tirar,
Do mundo vem te apiedar.
Ó tu, que vens o mal tirar,
Cordeiro, aceita o nosso orar.
Ó tu, que com o Pai és um,
Do mundo vem ter compaixão.
O Santo Santo és só tu,
Senhor de tudo és só tu.
O Altíssimo és tu, Jesus
Ó Salvador, tu nossa Luz.
Ao Espítrito e a Deus igual
Em majestade celestial.
Amém, isso é, assim será
O coro de anjos cantará.
E todo o mundo até o fim
Amém dirá, amém e sim.

AMÉM.