01 de agosto de 2007

Ele os salvou por amor de seu nome, para lhes fazer notório o seu poder

Salmo 106.1-12

Em todos os tempos, Deus revelou-se por sua palavra e por sinais externos. Procedeu assim por não suportar que construamos nós mesmos uma ponte para o céu, para, lá, procurá-lo, como tentamos quando éramos monges. Deus não nos quer deixar sem sinal, um sinal visível. No entanto, não será o sinal que eu coloco, que eu instituo e invento; há que ser o sinal que Deus dá. Eu terei um sinal do qual Deus diz: É esse o sinal que lhe dou, para que voe sinta que Deus eu sou, e que estou a seu lado. É aqui que você me encontra: no púlpito, no batismo, na santa ceia. Pois essa é minha instituição externa. No entanto, as instituições divinas todas exigem a fé. Assim o sacramento do altar requer a minha fé, pois as palavras: Tomais, comei e bebei exigem fé. E essa fé não se engana. Ainda que eu seja vilão, isso não diminui em nada a palavra e ordem de Deus em seu poder, e ainda assim está presente entre os crentes. Por isso, o que Deus ordena, ainda que nos pareça loucura, apela à fé, porquanto Deus está atrás disso.