28 de julho de 2002

NÃO TENHO NINGUÉM

João 5.1-9a

Quanta espera! Quanta expectativa de ficar curado! Quanta frustração por não receber ajuda de ninguém! Um paralítico, doente há 38 anos, não consegue ser curado porque ninguém lhe estende a mão, até o momento em que Jesus interfere na sua vida. A experiência do paralítico é a de um sem-número de pessoas em nossos dias: ninguém para ajudar. E, sozinho, não se consegue mudar a situação. Precisa-se de ajuda. Todos precisam de alguém. A experiência do paralítico é a experiência de um sem-número de pessoas em nossos dias e em todos os tempos: a solidariedade, a presença de alguém, faz com que a situação mude totalmente. Onde antes não havia perspectivas de mudança, agora, o novo já se instalou. Doença, paralisia, isolamento não dominam mais a vida, quando se tem ajuda de alguém. Jesus fez a diferença na vida daquele homem, doente há tanto tempo. Ele põe um fim à solidão, ao sofrimento, à dependência total dos outros. No Reino de Deus, anunciado e vivido por Jesus Cristo, em palavras e gestos, sofrimento, solidão e doença não diminuem mais a vida das criaturas de Deus. No Reino de Deus, inaugurado em Jesus, a solidariedade, o companheirismo, o apoio mútuo expulsam sofrimento e solidão. A doença é eliminada, é curada. A saúde, a amizade e a solidariedade vão ocupando espaço e promovendo vida. Jesus fez a diferença na vida do paralítico. Ele faz a diferença na vida de toda e qualquer pessoa. Através de você, ele fará a diferença na vida dos paralíticos, dos solitários, dos carentes de toda a ordem.