15 de julho de 2002

NAS MÃOS DE JESUS, NOSSO POUCO SE MULTIPLICA

João 6.1-15

Jesus ensina seus discípulos a administrar uma profunda crise. Como alimentar uma multidão faminta, quando não há pão nem dinheiro para comprá-lo? Filipe faz os cálculos: "não temos recursos para fazer frente a tamanho problema" (v. 7). Duzentos denários seriam insuficientes para cada um receber um bocado, quanto mais para encher a barriga de todos... Portanto, não havia solução, por falta de recursos. E mesmo se tivessem o dinheiro, não haveria onde comprar tanto pão. André ainda não desiste: "Está aqui um menino que tem cinco pães... e dois peixinhos" (v. 9). Não era suficiente, mas era um começo. Este pouco foi colocado nas mãos de Jesus. Os discípulos não encontraram solução. Deixaram o Senhor administrar a crise, pois sabiam que, nas mãos dele, o pouco se multiplicaria. Resultado: cerca de cinco mil pessoas se fartaram e ainda sobrou. É isso: o pouco se torna muito quando é colocado nas mãos de Deus. Ou seja, nosso pouco, nas mãos de Jesus, multiplica-se para o bem de muitos. Esta bênção traz um problema: os interesseiros querem proclamar Jesus o seu rei (v. 15). Com um rei assim, ninguém mais precisaria trabalhar. O Senhor conhece a intenção deles e se retira sozinho para o monte. Sabemos que ele subia nos montes para orar e buscar a intimidade com o Pai. Lição para a sua vida: nas crises, grandes ou pequenas, entregue o seu pouco nas mãos de Deus. Se do pouco que o rapaz colocou nas mãos de Jesus, ele fez tamanho milagre, quanto mais quando colocamos a nossa vida inteira em suas mãos!